O Trabalho da Fiscalização

As normas de fiscalização são um conjunto de regras que devem ser zeladas para um bom andamento do trabalho. Todos os membros fardados devem, com a ajuda dos mais experientes, participarem dos diversos trabalhos de fiscalização.

Os principais setores são:

• COMANDANTE, DIRIGENTE OU PRESIDENTE DA MESA

Responsável geral pelo trabalho espiritual.

• COMANDANTE ALA MASCULINA e COMANDANTE DA ALA FEMININA.

Cuidam da ordem na fila, da harmonia da corrente, correção do bailado e também das velas, incenso e água.

• FISCAIS DE ATENDIMENTO (MASCULINO E FEMININO).

Encarregados de zelar pela passagem daqueles irmãos e irmãs que estão necessitando de auxílio para viver a sua experiência espiritual.

• FISCAL DE TERREIRO

Encarregado do movimento e atendimento no terreiro da Igreja. Também recebe pessoas encaminhadas pelo fiscal de salão para o terreiro e vice-versa.

• PORTEIRO

Zela pela porta, o acesso e saída da Igreja. Controla a direção de cada um que sai do trabalho e quando necessário indaga os motivos. É o intermediário entre os fiscais do salão e do terreiro.

• REFORÇO/RONDA

Considera-se reforço todo o efetivo da escala de fiscais que mesmo não estando em seu turno pode ser convocado para alguma emergência. E também para realizar ronda nas imediações do templo.

• ESCALAS

O quadro de fiscalização deve funcionar em base de turno de duas horas. Em centros com menos disponibilidade de pessoal pode haver escalas maiores ou fixas.
O treinamento e preparo dos fiscais deve ser constante. O bom fiscal deve ser sereno, amoroso e ao mesmo tempo persuasivo e firme quando se trata de resolver problemas e situações que estão prejudicando o fluir harmonioso do trabalho.
Deve ser o mais discreto possível na sua atuação, abordando a todos com tranquilidade, educação, atenção e boa vontade Principalmente com aqueles irmãos e irmãs que estejam passando alguma disciplina ou qualquer outro tipo de dificuldade.
Se houver algum problema mais grave que fuja do seu controle e autoridade, deve dar ocorrência ao comando do trabalho.
Recomenda-se ter um livro para registrar ocorrências  para que, depois do Trabalho, possam ser avaliadas pelo Conselho Doutrinário Local, a quem cabe, depois de ouvida as partes, decidir pela oportunidade de propor sanções disciplinares.

fotos e videos