Reinado do Sol

No alto da montanha a cortina abriu
Breve, fugidia, fresca, me sorriu
Quem está por trás do palco,
Alguém do alto viu
Este filho menor, nu e com frio

O corpo da montanha despudorado deu
Um abraço intergaláctico no filho seu
O Astral é minha mãe,
E o Cosmos sou eu,
Me entrego encolhido a quem me acolheu

Os raios e trovões descortinando azuis,
Sacando a minha roupa e a ilusão que me seduz,
Se abrem para mim,
E assim é que me pus
Na condição de chão brotando a Luz

São Paulo, 1995

No mundo são muitos os caminhos
Que são pontes para Deus,
Cada um tem o seu,
Cada um é meu Deus,
Cada um é o caminho divino

No mundo são muitas as doutrinas,
Ferramenta divinal,
Consertando para o Astral,
Transformando sempre igual,
Promovendo a armada celestina

Seja a roda Sufi ou o centro de Umbanda
O meu céu também se chama Aruanda
Sejam Anjos divinais, ou os meus Orixás,
Todos cumprem a ordem de Deus: amarás

A Kabbalah ascendendo ao salão que criou,
Ou os indios Xamãs deste verde em que estou,
Seja Tao, seja Zen, os Anjos dizem amém
Ao caminho que leva para o meu Deus também

1996

Sigo o Tempo que Ele me indica
Faço força para conquistar
Suas chaves e Sua rubrica
E com Sua benção em Sua casa entrar

Seja o Tempo que Ele nos mande
Eu não sei e não quero saber
Quero apenas seguir Seus ditames
Para o colo Dele merecer

Saúdo o Tempo que é o Seu servo
E me ensina a me aprimorar
Para quando chegar minha hora
Eu bem limpo me apresentar

29 de outubro de 1997

E aí como é que vai ficar?
Neste balanço nós vamos balançar
Nas disciplinas nós vamos atravessar
Essa neblina para poder alcançar

A travessia pode demorar,
Tem ventania para atrapalhar,
Mas as cortinas hão de revelar
A nossa sina nas terras do além-mar

E aí como é que vai ficar?
Neste balanço nós vamos balançar
Nós em conjunto podemos avançar
Com a proteção de mamãe Yemanjá

Ai, meu caboclo, nas matas onde está
Sopram os ventos que vão nos empurrar
Com as velas brancas de papai Oxalá.
3x {Peço a Papai para vir nos clarear.

E aí como é que vai ficar?
Neste balanço nós vamos balançar.
Esse tormento tem que acabar.
O ensinamento é só Vós quem nos dá.

Eu vejo agora a tormenta passar.
Nós, marinheiros, podemos respirar.
É Deus do Céu das alturas onde está
Que nos envia um lugar para aportar.

E aí como é que vai ficar?
Neste balanço nós vamos balançar.
Mas a alegria é o barco a navegar
E o amor as águas deste mar.
Eu descobri de tanto viajar
O Novo Mundo eu sei onde ele está.
Meu coração é o seu lugar.
3x {Peço a Papai para vir nos ancorar

Águia Dourada se apresentou
É com ele que eu vou
É com ele que eu vou

Eu vou seguindo esta caminhada
Nessa estrada de amor
Nessa estrada de amor

Eu peço agora sempre se apresente
Que aqui tem gente
Querendo aprender.

Vós nos ensine neste seu caminho
Aonde está o espinho
Para nós saber.

A Vossa cura ela é tão sagradaVenha Águia DouradaVenha Águia Dourada

Passe sua mão sobre a minha aura
Mande o mal embora
Mande o mal embora.

Venha fazer comigo o descarrego
Limpando o meu mêdo
Trazendo o Poder.

Traga o vigor dos ventos da Floresta
Fazendo o que não presta
Em nós esmorecer.

Eu venho da floresta
Mas eu sou pequeninho.
O meu Pai mandou eu vir
Aqui trazer os Seus ensinos.

Meus irmãos chegou a hora
De todos se reunir
Para escutar meu Mestre
No canto do Bem Te Vi.

Somos tantos a Seu serviço,
Temos tanto para ensinar.
Tantas flores no seu jardim
Ainda nós vamos plantar.
Vamos todos ficar firmes,
Cada um em seu lugar.
Chega de falar dos outros.
Lembres que tu vais pagar.

Na Floresta mora o silêncio,
No silêncio mora a Luz,
O Amor e a Harmonia
Que nesta corrente eu puz.

Te concentres meu irmão
Nesta forma de cantar,
É na mente, e no pulmão,
E na cadência do bailar.

Voe, voe, meu irmão,
Como voa o passarinho.
Eu digo: eu venho da Floresta
Mas eu sou pequenininho.

Te corrijas , meu irmão,
Segue a trilha do Amor,
Se procura a tua cura
Na Linha do Beija-Flor.

Aqui eu vou chamar
Seres do Exército da Luz
Eu vou pedir prá vir marchar
Sob o comando de Jesus.
Meu São Miguel, meu aliado,
Estou perfilado para lutar
Ao vosso lado, sou seu soldado,
Aguardo ordens para atacar.

Quem é que vai garantir
Como é que vai ficar
Vou, Eu vou,
Eu vou me revelar.

Dirija a mente para o Sol
Deixa a Luz te iluminar
Vou, Eu vou,
Eu vou me revelar.

De braços presos na cruz
Ele vai nos libertar
Vai, Ele vai,
Ele vai se revelar.

Vou seguindo o meu caminho,
Vou plantando os meus ensinos
Para quem quiser colher.
Quem não sabe o que precisa
Vai seguindo em sua lida
E eu nada posso fazer.

Vou ficando bem quietinho
Examinando este caminho
Ver se consigo aprender.
É a Doutrina quem me indica
O lugar aonde fica
Essa Fonte de saber.

Nos meus passos eu tropeço
Mas a Deus eu sempre peço
Para me habilitar.
Peço Força, peço Força,
Peço que Ele me ouça
Venha aqui me libertar.
Que ao fazer sua caminhada
Está ligando a corrente

03 agosto 97

Isso eu digo é porque sei
Se eu sei eu vou mostrar
Para quem tiver ciência
Nesta voz que vai falar.

Abre o seu coração
Para as Princesas do mar
Leve as mágoas para longe
Com a Rainha Yemanjá.

Yê, Yê, Yê
Yê, Yemanjá
Salve a luz do seu balanço
Que vem para nos limpar.

Yê, Yê, Yê
Yê, Yemanjá
Limpe as dores, limpe as mágoas
Com as águas de Seu mar.

O Reino da Flor das Águas
Está nos olhos das meninas
Que eu vejo trabalhando
No batuque das Ondinas.

Saravá, meu Pai é Rei
Ele se chama Oxalá
Brancas luzes de seu manto
E as azuis de Yemanjá.

Chuá, chuá, chuá
Ela vem para nos lavar
Esta vida é muito dura
Mas no fim vai compensar.

Chuá, chuá, chuá
Nós podemos aprender
A levar prá longe as dores
Que no fim vamos saber.

26 de setembro 97

Eu estou avisando
Para o meu batalhão
Quando eu der o sinal
Todos de espada na mão

Quem não estiver preparado
Naquela hora final
Deixa de ser meu soldado
Deixa o Reinado do Sol

Por isso preste atenção
Cada minuto é sagrado
Alerta, meu povo, alerta
Se quiser ser meu soldado

Vem do Sol todo ensinamento
E do Mar o descarregar
E das Estrelas deste firmamento
Vem Mistérios onde navegar

Venha a Luz do meu Ser Eterno
Desde sempre um corpo estelar
Vou pulsando, o meu aparelho
É o Vento de Deus a vibrar

Para sempre, viva o Ser Eterno
Que eu sou, vim realizar
O Projeto que é o Mistério
Do meu Pai: vim para amar

Nesta vida sou estrela cadente
Ascendendo sem nunca mais parar,
O que é breve é o pensamento
O Eterno é o que será.

Agora escutem, meus irmãos
Os instrumentos vão tocar
Firma o passo na cadência
O meu passo é o maracá
A defesa do soldado
É saber se concentrar

O tambor é o pulmão
E a flauta minha voz
O canto mais afinado
Está no coração de nós
O instrumento que é seu corpo
Está desatando os nós

A energia vai rolar
Deixa ela se mover
Cala a mente, não espera
Seja Deus no próprio ser
O silêncio dos desejos
É que vão te convencer

O bailado é uma seqüência
Que começa em você
Amoleça tuas defesas
Para a Deus tu conhecer
Arredonde o movimento
E deixa o canto te envolver

A melodia divinal
Está sempre dentro da gente
Ela vive em sete casas
Todas as casas da serpente
Que ao fazer sua caminhada
Está ligando a corrente

Elevei meu pensamento
Nas alturas de meu Deus
Eu bati naquela porta
Quando alguém me respondeu
As trombetas estão tocando
Está na hora de acordar
Só quem for tranquilo e limpo
Nesta casa pode entrar

O castelo de cristal
Que aguarda tua visita
É para aqueles que souberem
Caminhar às claras vistas
Quando entrastes no entanto
Tua farda recebestes
Meu irmão tu és soldado
Da Rainha que acolhestes

No castelo de ouro puro
Reina o papai Salomão
Hoje vão soar trombetas
Está se abrindo o portão
Aqui eu bato continência
Peço permissão pra entrar
Vou render obediência
Uma audiência eu vou marcar

Os anjos de Deus formando
Uma escolta ao meu lado
De novo os sons das trombetas
Dentro do Salão Dourado
Ajoelho e uma espada
Sobre a fronte sem temê-la
À luz de cristais brilhantes
Eu recebo a minha estrela

Te levanta, meu soldado
Eu preciso de você
Com a Rainha ao teu lado
Vás lutar e vás vencer

Te levanta, meu soldado
Tu sabes do que é capaz
Este Poder que tens guardado
Vai alicerçando a paz

Te levanta, meu soldado
Temos muito que construir
O povo de Juramidan
Agora sabe para onde ir

Te levanta, meu soldado
Desembainha a espada do amor
O Reino do Sol Dourado
Está nascendo aqui aonde estou

Vou girando bem mansinho
Iê, iê, iê, iê
Apresentando este caminho
Iê, iê, iê, iê
É só eu ir me concentrando
Iê, iê, iê, iê
Que Eles vão se apresentando
Iê, iê, iê, iê

Se você quer aprender
Iê, iê, iê, iê
À Eles tem que obedecer
Iê, iê, iê, iê
Vêm lá do alto Suas canções
Iê, iê, iê, iê
Regando Luz nos corações
Iê, iê, iê, iê

Hoje vem um Caboclo bom
Iê, iê, iê, iê
Ou um Preto Velho ensinador
Iê, iê, iê, iê
Na vibração dos Orixás
Iê, iê, iê, iê
De aluno eu viro um professor
Iê, iê, iê, iê

Esta Doutrina é de uma Mãe
Iê, iê, iê, iê
Que acolhe todas religiões
Iê, iê, iê, iê
O amor de Deus não tem tamanho
Iê, iê, iê, iê
É maior que todas nações
Iê, iê, iê, iê

Seguindo o conselho do Padrinho Sebastião
Eu vou mentalizando minha outra encarnação
As vidas que eu já tive o Daime vai me revelar
Aos poucos, na paciência, as lembranças vão voltar

Assim fica mais fácil de minha sina eu entender
O que eu fui me mostra o que ainda eu vou ser
O passado no presente me aponta pro amanhã
Que eu cumpra o meu Destino para merecer a Mãe

Eu sou um ser da floresta
Eu sou uma fonte de Luz
Eu sou, eu sou um mensageiro
Das palavras do meu bom Jesus

Eu trago os segredos da mata
Os aliados deste Poder
Cada animal, cada folha
É membro do mesmo Ser
No alto vigia a Águia
Nas flores dança o Beija-Flor
No chão são tantas criaturas
Herdeiros e frutos do amor

Se muito eu pudesse entender
Dos fundos Mistérios do meu Criador
Eu já seria um outro ser
E não o ser que eu sou.

Aqui nesta vida estou para aprender
Lições eu recebo as que merecer
Eu peço a meu Pai, eu peço a Mamãe,
Me faça um bom filho eu ser.

Eu sei que sou livre para escolher
Aquela estrada que me convier
Da ignorância à compreensão
Tem um longo caminho para percorrer.

Eu peço aos meus guias para me ajudar
A desbravar os caminhos da perfeição
Afastem as cortinas, dissipem a neblina
Iluminem este templo que é o meu coração.

Ouvi Mamãe Oxum na cachoeira
São cantos que ela pede pra cantar
São cantos de beleza para essa deusa
Que vem da Natureza
Para nos aconselhar.

Ela disse para mim: Escute filho,
Palavras são pedrinhas a rolar
A Umbanda é um nome dado pelo homem,
Cabe dentro do Daime
O importante é iluminar.

Empresto esta cantiga de outros Centros
Para mostrar que Deus está onde Ele quer
Aqui neste congá o que importa é trabalhar
Mostre a Deus o teu valor
Que Ele vem te graduar.

Registro, 28 de Novembro de 1997

Juramidam, Juramidam
Chamo o meu Pai, chamo o coração da mata
Juramidam, Juramidam
Chamo minha Mãe dentro da Mãe Natureza

Defuma, defuma, defumador
Defuma, defuma, defumador
A casa do Pai vai se preparar
Para trabalhar energias do amor

Defuma, defuma, defumador
Defuma, defuma, vou defumar
Aqui meu trabalho vou apresentar
O mal descarrego nas forças do ar

Defuma, defuma, defumador
Defuma, defuma, defumador
O fogo aqui queima a má vibração
O perfume é a benção do meu Senhor

23 de janeiro de 1998

Salve, salve, meus guerreiros
Que vem me acompanhar
Salve, salve, meus amigos
De outras eras fui buscar

É aqui que vos encontro
Vamos juntos trabalhar
Venham aqui firmar o ponto
Meus guerreiros de Oxalá

Hoje pai, amanhã filho,
As almas vão se cruzando
É Deus quem nos põe no trilho
E o amor vai nos ligando

Neste Terreiro eu apresento
O que em outras vidas aprendi
Com meus guerreiros eu ensino
Todas as vidas que vivi.

Eu fui um mago da linha branca
Eu fui um mago e ainda sou
Aqui eu trago essa licença
De trabalhar para o Criador

Da minha mão vibram sete raios
Peço licença pra ser trabalhador
Vós me acompanhe dentro desta crença
E se alinhe com esse Ser maior

Aqui eu curo e aqui castigo
Preste atenção na luz do Redentor
Se tu fizeres como eu te digo
Também serás Seu procurador

Vou penetrando nesta disciplina
Quem for dos meus pulse pura luz
Vá aprendendo a seguir o Mestre
O Pai de todos, o Avatar Jesus.

SP. 07 de fevereiro de 1998

Nesta estrada que se apresenta
Me esforço em aprender
Mais uma vez eu peço ao Pai
De Vossa estrada eu merecer

Eu sou grande perante a ti
Se me fizer pequeninho
Se meu coração se abrir
Pro Beija Flor fazer seu ninho

Sem querer me engrandecer
Ao receber o Vosso poder
Sou pequeno em Vossa casa
E só ao pequeno Vós dais asa

Irei voar nas Vossas graças
Se meu Eu se aquietar
A lição que Vós me passasÉ saber se entregar

Aiuruoca, 21 de fevereiro de 1998

O sonho da minha Rainha
É todos nós acordar
Para fazer a travessia
A nós só nos resta tentar

Irmãos, desta vez estou chamando
Para o seu despertar
A vida passa depressa
Não vamos desperdiçar

O amor é maior que a palavra
Nós temos que exercitar
Nois é na hora da peia
Que quero com vós conversar

Digo prá todos aqueles
Que nunca saem do conforto
Quando um irmão esta chamando
Provem que não estão mortos

Se ajudem nas dificuldades
Mostrem que são meus soldados
É com todos se dando as mãos
Que vão construir meu reinado

O sonho da minha Rainha
É todos nós acordar
Para fazer a travessia
A nós só nos resta tentar

Irmãos, desta vez estou chamando
Para o seu despertar
A vida passa depressa
Não vamos desperdiçar

O amor é maior que a palavra
Nós temos que exercitar
Nois é na hora da peia
Que quero com vós conversar

Digo prá todos aqueles
Que nunca saem do conforto
Quando um irmão esta chamando
Provem que não estão mortos

Se ajudem nas dificuldades
Mostrem que são meus soldados
É com todos se dando as mãos
Que vão construir meu reinado

Vossas mãos curadoras
atuando em mim
Trazem todas as cores
Vibrações e perfumes
Do Divino Jardim

Vossas mãos curadoras
atuando em mim
Trazem todas as cores
Afastando os temores
Desta luta sem fim

Vossas mãos curadoras
vão vibrar o meu Pai
Com essa eletricidade
Da espiritualidade
O maligno se esvai

Atenção para a espada,
vão rufar os tambores
Vós se identifique
Com este Trilho de Luz
Que elimina as dores

SP, 22 de março 1998

No caminho desta estrela
Vai um povo a caminhar
Chamo o Vento, chamo a Lua
Chamo o Sol, eu chamo o Mar.

A corrente deste povo
Está ligada no astral
Chamo os entes que me protegem
Lá do mundo espiritual.

Chamo o Mestre e a Rainha
Abra sua porta, meu São João
Para este povo que aqui caminha
Junto à estrela de Salomão.

Oh, meu Deus resplandecente
És a Luz do próprio Sol
Que clareia toda gente
Do bem grande ao menor

Neste trono de beleza
Vou fazer a saudação
A Rainha Natureza
Sopra em mim esta canção

Aqui na terra brota o verde
Lá no ar o azul do céu
A Rainha mostra a face
E as nuvens são Seu véu.

Agradeço, eu agradeço
Meu Mestre Juramidan
Volto sempre a agradecer
Por estar vivo esta manhã.

Oh, meu Deus resplandecente
És a luz do próprio Sol
Que clareia toda gente
Do bem grande ao menor

Ibirapuera, 01 de maio de 98

Chegou, chegou , meu São João
Comandante deste batalhão
Na lei, na lei de São João
Que vigora aqui neste salão

Chegou, chegou, meu São João
O justo, o nosso guardião
Na lei, na lei de São João
Que permite a manifestação

Xangô, Xangô, meu São João
Equilibre cada nosso irmão
Na lei, na lei de São João
Que é o amor da Virgem da Conceição.

No dia do trabalho de São João/98

Oxóssi é caçador
Nas matas do Senhor
Lhe devo esse louvor
Lhe devo esse louvor

As almas que Deus trouxe
Para as flechas de Oxóssi
São gratas ao Senhor
são gratas ao Senhor

Nas matas de Oxóssi
Vamos para aprender
Divino é Seu saber
Saber é meu dever

SP, 10 de julho de 1998

Minha Mãe querida é quem nos cria
Nos amparando no caminhar
Estou de mãos com a Santa Maria
Me conduzindo ao berço estelar

Oh, minha Mãe, sob vossos olhos
Eu vou crescer, vou me preparar
Para ir à Deus sob o vosso atalho
Só o vosso amor pode encaminhar

Oh minha Mãe, sob vossa graça
Tornai-me um manso de coração
E a cada ser que em minha frente passe
Eu Vos imite dando a minha mão

Na vibração de minha Mãe querida
Aprendo formas de me preparar
Para fazer de toda minha vida
Uma missão de todos amparar

Oh, minha Mãe, sob Vossos olhos
Quero louvar com este estribilho
Canto em louvor, Mãe eu agradeço
De me teres como vosso filho

Oh minha Mãe, sob vossa graça
Tornai-me um manso de coração
E a cada ser que em minha frente passe
Eu Vos imite dando a minha mão

12 de julho de 1998

Vou celebrar aqui junto aos meus irmãos
A proposta de união da Virgem da Conceição.
O Justiceiro, o nosso Guardião
Manda esta vibração do patrono São João.

Vamos cantar sua benção
Vos agradeço Padrinho Sebastião
Que deu seus frutos na nossa mão
Que hoje louvam o saber de Salomão.

Eu fui rezar em agradecimento
O firmamento me respondeu
Cada estrela que brilha no céu
É expressão do próprio Eu

Lá nas alturas do Reino de Deus
Os atos seus tem seu valor
Vá se firmando no brilho do céu
Santa Maria, Nosso Senhor.

Se acreditas neste ser que vai falar
Então é bom se preparar
Entrou aqui neste Salão
Uma das linhas da manifestação

Por esta linha os caboclos vão descer
Receba aberto o seu saber
É ser de Luz, Doutrinador,
E a falange de caboclo Curador

Currupipipiraguá
Este caboclo vai se apresentar
Linha das matas, linha do ar
Se tu calares, agora vou falar

Eu vou mexer na sua luz
Teu corpo astral vou limpar do mal
Deixa teu corpo estremecer
Que eu te transmito agora o meu poder

05/07

É cantando estes hinos aqui junto aos meus irmãos
Que confiro os preceitos que habitam meu coração
Tem quem diz, tem quem procura, tem quem quer
E tem quem É
Mas meu Deus lá nas alturas nos permite a Sua fé

Tanto irmão aqui presente se ressente por outro irmão
Porque quer subir no trono e levar consideração
Se aquiete, aqui vos digo, e preste muita atenção
Que seu grande inimigo pode habitar seu coração

Se é a glória que tu procuras, então é bom tomar cuidado
A vaidade nesta casa mora no lugar errado
Vai brilhar e florescer aquele que merecer
Será o pequeno no Meu Reino
Quem terá o maior poder

14 de agosto de 1998

Ele pisou no rabo do Dragão
Sete dias o combate durou
Sete dias de escuridão
E veio a luz que tudo clareou

São Jorge, Arcanjo São Miguel,
Gabriel, Rafael, Anael
Cada Arcanjo tem sua Legião
Com a espada do Senhor na mão

Sete dias combatendo o mal
Cada dia tem seu general
Rei Ogum arremata cada falha
De seus filhos que caem na batalha

Sete linhas trazendo para a Lei
O irmão que quer se desviar
Atenção para o caminho reto
Olha o rumo que tu queres tomar.

Na hora do vosso caminho
Não deixa ninguém te impedir
Decida sempre sozinho
Se é hora de prosseguir

Escuta o anjo que te guarda
E fala por seu coração
Quando escolhestes esta farda
Ganhastes mais um guardião

A Águia que vem nesta estrela
Te guiará para o céu
Agradeça a Deus por tê-la
Zelando pelo que é seu.

Eu vivo festejando
Este encontro que se deu
Entre um ser que ia buscando
E o velho Mestre Irineu

Eu vivo garimpando
A cada dia pedras finas
Riqueza fui encontrando
Nas minas desta doutrina

Oh, meu Pai, que bom que eu seja
Um escolhido do Senhor
Dai-me a Luz, faça que eu veja
Os caminhos do Amor.

O perfume que vem me perfumar
Vem dos caboclos que vão se apresentar
Que tem a benção de Papai Oxalá
Oi Saravá, Oxalá babá

Vou incensando o meu batalhão
Conheçam agora vosso General
É Oxalá, Papai é Oxalá
Que vem do ar que faz o vendaval

A tempestade que está a anunciar
Ela é da Fé, e é do Perdão
Meu Cristo é o Rei que está a defumar
3x {Salve os caboclos de Pai Oxalá.

Obrigado Mamãe, pelo seu trabalho
Nesta corrente sei que posso afirmar
Obrigado Mamãe pelo seu trabalho
Lembrando de ti sei que vou trabalhar

Olha o negro que veio de corrente na mão
Trazendo de longe a benção dos Orixás
Ele veio chorando, ao pisar neste chão
Não sabia que vinha para cá trabalhar

Obrigado Mamãe, pelo seu trabalho…

O projeto de Deus vem de muitos caminhos
Ele planta em todos um cadinho de fé
Foi aqui nesta terra que o negro sozinho
Transferiu para nós os Santos do
Candomblé

Obrigado Mamãe, pelo seu trabalho…

Pobre daquele que se interpuser
Nos caminhos de Deus, seja qualquer um
Venha zelar pelos seus filhos
Aí dos castelos dos campos de Olorum.

E foi nas águas de Mamãe Oxum
Que ela veio se revelar
Entrego meu coração, cabocla
Para que venhas aqui bailar

Ó caboclinha da cachoeira
Que põe a mata a vibrar
Entregue o teu trabalho, cabocla
Venha aqui para curar

Suave é o teu bailado, cabocla
Venha nos livrar do mal
São azuis tuas penas, e tua cura
Vem do Reino Celestial

27 de agosto de 1998

Estou preso no Reino do Sol
Nas hostes do meu senhor
Aqui estou, eu sou
Amor, amor, amor

Cada dia eu marcho com Ele
Esta estrada não é brincadeira
Eu sou, estou, eu tenho
Comigo esta bandeira

Mauá, 06 de setembro de 1998

Essa doutrina que move o mundo
Na licença de Juramidam
Vai transformando todos os seres
Clareando nossas mentes sãs
Eu vou fazendo os meus trabalhos
Deste projeto divinal
Eu sou mais um, mas eu sou Ele
O guardião deste portal
Oh, meu soldado, se tu soubesses
A importância dessa missão
É o universo se transformando
A partir dessa união
Eu vou fazendo os meus trabalhos
Na certeza de conseguir
Um bocadinho a mais que seja
De consciência para prosseguir

13/09

Não sou eu quem vai se revelar
Vais ser tu quem vai se preparar
Te encontro no ponto destinado
No instante em que estejas preparado

Vou soprando estas lições de amor
Procurando me fazer escutar
Até a hora em que saibas quem eu sou
E quem eu sou não irá te espantar

Desde sempre estive neste mundo
O meu estudo é de muita paciência
Mesmo quando estivestes lá no fundo
Lá do alto exalei minha ciência

Vás com calma, meu irmão, vás com cuidado
É muito fácil trilhar o caminho errado
Mas não duvides que estou te acompanhando
Lembras de mim mesmo quando estás errando

Da tua luz já destes o testemunho
Eu não duvido de que tu podes brilhar
Tu tens a mão e também tu tens o punho
Tu sois liberto pro que quiseres usar

Eu sou a Deusa que tu já adorastes
Já venerastes a Luz do meu amor
Portanto lembres o caminho em que andastes
E atenção pra onde o povo tropeçou.

Outubro 1998

A cada um, um pouquinho de luz
A cada um, um pouquinho de perdão
Cada um carregando a sua cruz
Cada um com a sua missão

Na sua frente o seu irmão
Representando um pouquinho de Deus
Está ao alcance de sua mão
A Doutrina do Mestre Irineu

A Doutrina do Mestre Irineu
É sempre unir e nunca se opor
E o irmão que o Destino lhe deu
Vem do tamanho do seu amor

Deseje o bem, ele é um enviado
Para provar sua capacidade
Lhe tenha amor, ou lhe tenha perdão
Revele a Deus qual é a sua verdade.

Com Sua força eu vou seguindo
Cantando vou prosseguindo
Ouvindo Vossos conselhos
Preparando o aparelho

O ajuste é muito fino
Recebo os Vossos hinos
Difícil é estar atento
Se deixas a alma no relento

Construa o vosso templo
Para resistir ao tempo
A fé em Deus é o meu rochedo
Vossas lições aliviam o medo

A casa mal preparada
Sempre é mal habitada
Não tem como fugir da peia
Se o alicerce estiver na areia

Areias são ilusões
Que vão minar os corações
O orgulho e a vaidade
Levam pra longe da verdade

Com o poder da sua mente
É prá lutar eternamente
Estar com Deus nesta verdade
Só com o triunfo da vontade.

Recebi a visita do Tempo
Hoje o Tempo veio me mostrar
Quem não sabe onde mora o Deus Tempo
Nunca vai conseguir acordar

Meus amigos e meus amores
Meus irmãos e meus desafetos
Entre eles e eu tem o Tempo
Me mostrando os caminhos certos

Todos vão mergulhando no Tempo
Sobrevive a lembrança do amor
O que eu aprendo é presente do Tempo
O que eu brilho é graça do Senhor

Somos todos no Tempo igualados
Eu e todos os meus irmãos
No Tempo aprendo o desapego
Possuindo Deus no coração

19 de novembro 

Canto, canto, canto hoje
Este hino brasileiro
Que nos mandaram cantar
Juntos aqui neste terreiro
São os hinos do amor
Do nosso Deus verdadeiro
Que se canta em todos os cantos
Dos povos do mundo inteiro

Os povos do mundo inteiro
Cantam todos estes hinos
Negros, brancos, amarelos
Que em Deus são cristalinos
Lá do alto vibra Deus
A luz de Vossos ensinos
Que podemos receber
Na pureza de Jesus menino

A grandeza das crianças
É o coração aberto
Ama a todo ser humano
Que lhe demonstrar afeto
Na pureza de seus gestos
Sempre está com Deus por perto
É por isto que se disse
Que ela tem o coração desperto

Ela tem o coração desperto
Ao brincar em suas cirandas
Tem os gestos sorridentes
No cantar que Deus lhes manda
Aceitando toda gente
Que quer estar em sua corrente
Todas as raças diferentes
Moram em Deus Onipotente.

Minha Mãe que sois Rainha
Desta noite prateada
Nos envia suas mensagens
Clareando nossa estrada

Prosseguindo ao Vosso lado
É menos dura a jornada
Minha Mãe eu vos saúdo
Vos saúdo Mãe amada

Minha Mãe está me dizendo
Que a vida é assim mesmo
Vou buscando ser perfeito
Não posso seguir a esmo
Mas se hoje eu tropeço
E não alcanço a perfeição
Tenho um novo recomeço
E vou seguindo essa missão

A Lua lança sobre a terra
Sua graça e paciência
A Lua vai exalando
Para nós a sua essência
Vou bebendo desta fonte
Me nutrindo nesta ceia
Hoje a noite é uma festa
Com a Rainha Lua Cheia.

03/dez/98

Quero ver relampear
Ele é o Rei da tempestade
Cavalgando o trovão
Os raios de sua verdade

Vai cair o temporal
São os ventos do amor
Ela trás o vendaval
Vai varrendo pro Senhor

Santa Bárbara no céu
Que faz tudo clarear
Ela apanha com o seu véu
As almas que estão a vagar

Vou limpar, eu vou limpar
Toda essa imensidão
Com os ventos do meu Pai
Que sopram do meu coração

1x{Eu mandei relampear
Yansã, salve Yansã
Eu mandei o vendaval
Na força de Juramidam
Eu mandei relampear
Yansã, eparrey, Yansã
Eu mandei o vendaval
Na força de Juramidam

Dezembro de  1998

Vou andando neste barquinho
Não sei onde vou chegar
Penetrando na floresta
Nos domínios de meu Pai
No comando vai o Padrinho
Ele vai a nos guiar
Aparando as arestas
Nos guiando ele vai.

Navegando os mistérios
Eles vão se apresentando
Seres da mata profunda
Seres dos reinos do astral
Este estudo é muito sério
Nele vamos mergulhando
Seres da mata profunda
Do Reino Celestial.

Curumins brincam nas matas
Eles brincam clareando
Vou chamando as crianças
Que chegam descarregando
Os Erês que vêm por último
Neste ano que se finda
Carregando as esperanças
De quem acredita ainda.

Mapiá, 31 dezembro 1998

Com Deus, com Deus, com Deus,
Vou buscando este poder
Para eu ser filho Dele
E Dele eu merecer

Na luz, na luz na luz,
Da Divina Criação
Conduzo a minha mente
Em pura concentração

A voz, a voz, a voz,
Vem do Eu Superior
Eu estando com Vós
Manifesto quem EU SOU

A Mãe, a Mãe, a Mãe,
É do Cristo Redentor
Me ninando em seu colo
Recebendo o seu amor

Voei, voei, voei,
Foi nas asas do Condor
Esse vento que me eleva
É o sopro do Senhor

Voei, voei, voei,
Junto à Águia Imperial
O que vi, onde pousei
Foi no Reino de Cristal

Com Deus, com Deus, com Deus,
Fiz voar meu coração
Junto aos seres divinos
Que protegem essa sessão

Mapiá,  janeiro de 1999

3x

Sois Vós, meu Deus,
Ó meu Pai da Criação
A quem eu peço
De todo o meu coração

Vós me perdoe
Por todos os meus descaminhos
A Vós eu peço
Que não me deixes sozinho

Foi no dia em que nasceu
Que a Estrela Guia anunciou
Para o mundo que Ele vinha
Agora eu tenho o redentor

Os três Reis magos visitaram
A manjedoura de Jesus;
Eram os sábios recebendo
Do Sete-Estrelas a Santa Luz

Agora eu digo à irmandade
Do iluminado ao pecador
Que tenho sempre a Estrela Guia
A anunciar o que eu sou

Ela deixou a porta aberta à humanidade pecadora
Pra que estejamos sempre alerta:
O coração é a manjedoura

Fui firmar meu ponto no Céu do Mapiá
Agora já estou pronto aqui para trabalhar
Eu peço às sete linhas dos Senhores Orixás
Protejam este terreiro para eu poder me curar

Caboclo Sete–Ondas, Caboclo Beira–Mar
Ogum com sua espada prá me encaminhar
Caboclo Beira–Rio, Senhor Ogum Megê
Toda sua falange para vir nos defender

Oxum com seu amor a nos acolher
Caboclas de Yemanjá para nos lavar
Oxóssi e seu saber, meu pai Obaluayê
E seus filhos pretos–velhos com o seu grande poder

Oxalá que vós nos traga para a Linha da Fé,
A linha cristalina de Jesus de Nazaré.
A hora agora é essa: trabalhar neste terreiro
Na justiça de São João, Xangô, o Justiceiro.

Eu ouço a chamada insistente,
Esta chamada abençoada
Qualquer um pode escutar
Soldado, se perfila, esta chamada,
Ela vem lá das cortinas
Onde ainda vais morar

É o campo da justiça permanente
Que regula todos os seres
Em constante evolução
Aquieta a ansiedade de tua mente
Para estar com Deus presente
Dentro do teu coração

Que o amor é a semente verdadeira
Deste caminho de Luz
Que aqui nos acolheu
Eu formo esta corrente colhedeira
Abraçando mais e mais
Este povo que é meu

De braços estendidos para o alto
Eu abraço este chamado
Que é para o mundo inteiro
De braços estendidos eu dou o salto
E mergulho no espaço
Deste Divino Cruzeiro.

Eu vivo celebrando o amor
Que essa Doutrina dá;
Expando a consciência e vou
Viver a festejar

A alegria é a expansão
Da mente em revolução
Sorrio para Deus quando
Sorrio para o irmão

Recebo nesta Casa Santa
O irmão que está a procurar
Exercitar além da garganta
O cantar, cantar, cantar.

Eu ouço a chamada insistente,
Esta chamada abençoada
Qualquer um pode escutar
Soldado, se perfila, esta chamada,
Ela vem lá das cortinas
Onde ainda vais morar

É o campo da justiça permanente
Que regula todos os seres
Em constante evolução
Aquieta a ansiedade de tua mente
Para estar com Deus presente
Dentro do teu coração

Que o amor é a semente verdadeira
Deste caminho de Luz
Que aqui nos acolheu
Eu formo esta corrente colhedeira
Abraçando mais e mais
Este povo que é meu

De braços estendidos para o alto
Eu abraço este chamado
Que é para o mundo inteiro
De braços estendidos eu dou o salto
E mergulho no espaço
Deste Divino Cruzeiro.

Agora que o tempo passou
Tu vais encontrar-se com Deus
A hora do ajuste é chegada
Confessas os erros teus

Passastes a vida no engano
Julgando que ela não passa
E fostes fugindo, e errando,
Achando que a vida é de graça

Sempre enganando nas provas
Não aprendestes a lição
Achando que enganas o tempo
Mas te trapaceia a ilusão

A hora do ajuste é chegada
Disto não pode fugirÀs vezes só tarde é que sabes:
Só temos a Deus prá seguir

20 de fevereiro de 1999

Olhando vou buscando conhecer
As flores que ainda tenho que colher
Nos jardins desta DoutrinaÉ Deus quem determina
O buquê que eu mereço receber

Olhando e prestando atenção
A corrente que compõe os meus irmãos
Na floresta ou na cidade
Os perfumes da verdade
Podem alcançar o coração.

Recebendo a força do Sol
Que vai entrando nesta corrente
A força vem do Astro Rei
E eu recebo esta força contente

Vem calor, eu recebo amor
Vem a luz, e eu recebo a alegria
Olho as aves dançando no céu
Renovando a fé neste dia

Solto o canto louvando a Deus
Eu chacoalho o meu maracá
Passo a passo eu solto os nós
Chamo a força, ó força vem cá

Vou cantando em uma só voz
A ordem agora é se entregar
Com alegria e amor aos irmãos
Se o pedido é pro Sol nos curar

28 de fevereiro de 1999

Falar em Deus todo mundo fala
Eu quero ver é tu vigorar
Emanar amor em meio a batalha
Deixar o Deus se manifestar

Falar em Amor todo mundo fala
Eu quero ver é tu liderar
O batalhão em meio à batalha
Com o coração a te comandar

Falar em Luz todo mundo fala
Eu quero ver é tu iluminar
A noite escura em meio à batalha
Para poder teu irmão guiar

22/03/99

É o Rei, é o Rei, é o Rei
Quem pode nos valer
Nesta caminhada
Do saber, do saber

É o Rei, é o Rei, é o Rei
Quem pode nos abrir
O rumo desta estrada
Para eu poder prosseguir

É o Rei, é o Rei, é o Rei
Quem pode encaminhar
As ordens desta linha
Ele vem disciplinar

É a Lei, é a Lei, é a Lei
Que alinha de um a um
Os soldados da Rainha
No comando de Ogum.

Vou sem medo
Pelejando
Ninguém pode me parar
Se eu tenho Jesus Cristo
Assentado em meu altar

É no meio
Desta luta
Que eu imploro para o Céu
Faz da dor minha vitória
E do amargor o puro mel

Santo Antonio
Bom guerreiro
Me proteja em vossa Luz
O amor que vós me inspiras
Suaviza a minha cruz.

22/06

Se é ao Deus da Criação
Prá quem eu vou trabalhar
Eu proponho aos meus irmãos
Um instante prá pensar

Olhe o seu coração
Um pouco antes de rezar:
É sincera a oração
Ou é só para mostrar

Se é sincera a oração
Aqui volto a perguntar
Se em ti mora o perdão
Ou é mais fácil falar

Se em ti mora o perdão
Então é hora de acordar
Puxe pela consciência
E pare de criticar

Quem critica o seu irmão
Não tem tempo de olhar
Para própria caminhada
E onde pode tropeçar.

17/05

Vamos seguir a nossa caminhada
Este mundo de ilusão
É que é nossa estrada
Vou aprendendo, perdoando, escutando
Muitas vezes repetindo
A mesma escolha errada

Eu estou certo, recebi as minhas provas
De que junto segue um povo
Na função de doutrinar
O meu espírito que já atravessa as eras
Vão soprando bons conselhos
Para eu me melhorar

Eu agradeço, oh meu Pai, eu agradeço
Por não ser abandonado
No meio da noite escura
E à paciência de meus guardiões divinos
Que me servem de farol
Iluminando esta procura

Vós me perdoe, oh meu Pai, vos me perdoe
Se as vezes não consigo
Os degraus da Luz galgar
Ma eu prometo, oh meu Pai, eu vos prometo
De seguir na empreitada
Até vós me iluminar

Ó,ó,ó…
Hum,hum,hum…

Foi no Jardim de Krishna
Que colhi o fruto dourado,
A luz do conhecimento
De meu Guardião adorado
Houve júbilo na floresta,
Nas montanhas e no mar,
As criaturas em festa
Se puseram a dançar

Ó,ó,ó…
Hum,hum,hum…

1 x
A Dança de Krishna
Tem o poder da primavera
Pétalas de flores
Anunciando a Nova Era,
Salve a união de todos
Na Escola da Rainha,
O Oriente e o Ocidente
Trabalhando em uma só linha
A Dança de Krishna
Tem o poder da primavera
Pétalas de flores
Fecundando a Nova Era,
Salve a união de todos
Na Escolha da Rainha,
O Oriente e o Ocidente
Trabalhando em uma só linha

02/06/99

Transmita vossas forças curadoras, oh meu Pai
Para que a corrente inteira possa se curar
Permita vosso amor, vossa sabedoria
No terno e meigo abraço da sempre Santa Maria

Transmita essas ervas emanadas do astral
Permita que aqui se ilumine todo mal
Permita Vós a luz, permita oh, meu Jesus
Limpar desta existência o mal que nela eu mesmo pus

Sopre sobre meu corpo as energias da alfazema
Trabalhe aqui em mim todas as ervas da Jurema
Os médicos do astral só vão me conceder
A cura de meus males se hoje eu aprender

Os mestres que acompanham todas nossas encarnações
Continuem protegendo sempre nossos corações
Abri, oh filho meu, a vossa consciência
Para poder entrar na santa luz da
Providência

25/07/99

Há muito tempo eu aqui venho falando
E não encontro quem queira me escutar
Mas vou falando assim mesmo
Não tenho medo de errar
Esta Voz que Deus me manda
Manda para clarear

É para o Pai, é para o Filho, é para o Espírito
Que eu recebo esta ordem de cantar
Em mim tenho o Divino Verbo
O sopro feliz da Criação
Há muito tempo eu ensino
A clarear o coração

Esta força, esta força
Esta força que aqui chegou
É a força de Jesus Cristo
E dos fardados que ele enviou

Esta força, esta força
Esta força depuradora
Chega e prova que eu existo
Se eu sou filho de Nossa Senhora

Esta força, esta força
É força viva e curadora
Se deixa entrar pelo coração
Que eu já disse ser a manjedoura

Força da fé, força do amor
Que vai chegando de pouco em poucoÉ a ciência de Meu batalhão
Que lhes transmito pelos meus caboclos

Setembro 1999

Eu pedi prá viver com amor
Eu pedi e Deus não respondeu
Fui levando uma vida vazia
Sem saber que o culpado era eu

Eu pedi por um Mestre, um Caminho
Eu pedia prá ele responder
Mas como é que Ele responderia
Se não havia silêncio em meu ser

O silêncio é saber se humilhar
O silêncio é exercer o perdão
O silêncio é saber dar a volta
Prá viver sem se opor ao irmão

Sempre que eu quero me exaltar
É o Mestre quem ponho de lado
É o ruído da alma que eu faço
Enquanto quero ser escutado

Oh meu Pai a quem tanto pedi
Hoje sei que Ele respondeu
Encontrei os princípios da Luz
Nestes cantos do Mestre Irineu

Eu canto, eu canto
Porque Deus manda eu cantar
É com a chave da alegria
Que em Seu Reino eu posso entrar

Eu entro, eu entro
Em profunda atenção
Quando a alma se eleva
Com amor no coração

Eu amo, eu amo
Cada ser da natureza
Que a Mãe em Sua graça
Faz brilhar de realeza

Eu reino, eu reino
Sou o Rei da Criação
Quando amo a cada ser
Como amo ao meu irmão

Eu danço, celebro
Porque Deus me pede assim:
Celebrar com os passarinhos
Este Deus que vive em mim.

Por la Madre, la Madre del Cielo
Miro los Andes
Plano em los aires
Volando sobre el Reino de Plata
Pido a tus ojos
De no me olvidares

São seus olhos de Águia essa flecha certeira
Peço a Vós minha Mãe me Proteja
Tens a glória da Cordilheira
Vossas asas são minha igreja

Vou me orientar
Pela Estrela do Oriente
A falange de Magos
Que está aqui presente
Nos oriente, nos oriente
Em vossa escola,
Ó grande Estrela do Oriente

As colunas do Templo
Vão firmar meu coração
Para entender
A Estrela de Salomão
Nos oriente, nos oriente
em vossa escola,
Ó grande Estrela do Oriente

Posso ser meu dono,
Eu domino meu mental
Sou eu a Grande Obra
Sob a luz do Sol Central
Nos oriente, nos oriente
Em vossa escola,
Ó grande Estrela do Oriente

Eu peço, ó Janaina,
Em vossa casa no mar
Abençoe os Vosso filhos
Que vieram Vos saudar.

De pé aqui firmados
Nós podemos balançar
Lavando nossas mágoas
Aprendendo a perdoar.

Imanta as mulheres,
Educa as meninas
A trabalhar a força
Desta amada Mãe Divina

São muitos os vosso nomes
Ó Mãe que nos ensina
Ocultos no balanço
Desta força feminina.

Eu peço à Virgem Maria
Firmeza pra caminhar
E seguir com alegria
Aprendendo a perdoar
Vou seguindo em Vossa trilha
Senhora da Conceição
Aprendendo a ter a força
Para eu pedir o perdão

Dou graças, rendo graças
Para a nossa Mãe Divina
Acolha os Vossos filhos
No perdão que nos ensinas

Limpa todo nosso orgulho
A vaidade, a teimosia
Para humildes em Vosso colo
Receber Santa Maria.

Neste caminho de luz
Que Deus me colocou
Vou cumprindo as minhas provas
Descobrindo quem eu sou

O mesmo Sol que resplandece
No azul do firmamento
Fulgura em minha alma
E exala aqui de dentro

Sei que posso ser um Rei
Se ao Rei eu obedeço
Clareia meus sentimentos
Todo dia eu sempre peço

Põe luz nos meus pensamentos
Coroa minha cabeça
Abre este meu caminho
Para que nada me impeça

O meu Reino é deste mundo
Que eu vim para transcender
Se o caminho for de luz
Eu conquisto este poder

É o Sol, é o Sol
Que juntos vamos louvar
Iluminando este salão
Ensinando a iluminar
É o Sol, é o Sol
Clareando a nossa dança
Renascendo todo dia
Renovando as esperanças

É a Lua, é a Lua
Que regula a criação
O amor do feminino
Gerando nossos irmãos
É a Lua, é a Lua
A coroa da Rainha
Ensinando ser possível
Renascer por esta linha

É a Estrela, é a Estrela
O sentido transcendente
De eu buscar no firmamento
Onde morar eternamente
É a Estrela, é a Estrela
É o Comando Estelar
Que trazem os meus caboclos
Para virem aqui girar

Que ninguém se equivoque
Se quiserem trabalhar
O Comando é um só
Não nos queiram separar
Viajantes das Estrelas,
Do Sol, da Lua, do Universo
Juramidam é o Pai de todos
Que chegou por estes versos

Comandando as sete portas
Da manifestação
Eu permito aos meus guias
Estas comunicações
Sete portas revelando
Cada uma, uma união
Com os Mestres, os Regentes
Destas sete vibrações

Uma a uma vai se abrindo
Permitindo ao Mestre ouvir
São Mistérios que possuo
Para ao Mestre se abrir

Na primeira sobrevivo
E dou conta do existir
Na segunda realizo
A união que está por vir
Na terceira manifesto
O poder e a vontade
É na quarta que o amor
Expressa sua verdade

Uma a uma vai se abrindo
Permitindo ao Mestre ouvir
São Mistérios que possuo
Para ao Mestre se abrir

Na quinta eu me concentro
Na verdade e comunico
Vou subindo, e cantando
Eu me purifico
Na sexta porta finalmente
Eu alcanço a visão
Vejo o mundo transcendente,
O jardim da criação
Chego aos poucos na coroa,
O mundo espiritual
A porta do meu Jesus
Me protegendo do mal.

Uma a uma vai se abrindo
Permitindo ao Mestre ouvir
São Mistérios que possuo
Para ao Mestre se abrir

Aí vem a disciplina
Do meu Pai Juramidam
Aqui dentro da Doutrina
Cada um tem uma missão
Ao comando dos trabalhos
Eu ordeno submissão
E aos fiscais que fiscalizem
Antes o seu coração

Digo sempre, sempre digo
Mais uma vez volto a dizer
Todo aquele que se altera
Aqui dentro do poder
Não fala em meu nome
Nem em nome da Verdade
Só os mansos e pacientes
Tem a Minha Autoridade

Um segredo lhes revelo
Para a vossa ascensão
Aqui dentro da corrente
Designo muitos irmãos
Eles são seres que envio
Da mais alta envergadura
Que escondo em vestes simples
Humildes seres de alma pura

Os enviados que lhes mando
Seres do mais alto grau
Eles são e não parecem
Ser soldados do astral
Trabalham sempre bem mansinho
Para ver se reconheces
No irmão ao vosso lado
Um mensageiro do Mestre

Aos meus pequeninos
Que Deus abençoe
As almas que manda
Para sua escola

Neste planeta
O globo terrestre
A dor é a peste
Que a todos assola

Mas vamos crescendo
Apanhando e errando
E se graduando
Nesta caminhada

E vão se esquecendo
Na dor do momento
Que estas são dores
do seu nascimento.

Com a ordem deste Cruzeiro
Que o Mestre deixou de farol
Vão se alinhando os soldados
Do Reinado do Sol

Sob as ordens desta bandeira
Do General Juramidam
Bailo e canto a noite inteira
Buscando pela manhã

Nos clareiam os seres divinos
Seres da Corte Imperial
Do Oriente e do Ocidente
Os curandeiros do astral

26/04/00

Com ordem de São Miguel
Vou limpar este congá
Eu vou trabalhar firmado
No que Vós me afirmar

Com ordem de São Miguel
Vou limpar este terreiro
Colocar os malfazejos
Sob as ordens do Cruzeiro

A espada de São MiguelÉ pra quem trabalha sério
Anular o próprio euÉ o estudo de um Mistério

A espada de São Miguel
Só castiga os zombeteiros
E aquele que se engrandece
Junto ao irmão deste terreiro.

Seguindo sempre o comando da Rainha
É que pedimos para vir se apresentar
Os Espíritos do Sol,
Os Espíritos do Mar
Os Espíritos da Terra e do Ar

Perfilados com respeito no salão
Jesus Cristo escutai o nosso rogo
Nos daí valor prá sustentar
Aqueles que vêm ensinar
Os espíritos da Mata e do Fogo

O caldeirão da consciência vai vibrar
Nas sete portas do templo irão entrar
Os donos da sua cabeça
Os professores ancestrais
Que vêm do Reino das Linhas dos Orixás.

À Irmandade que encontrei eu agradeço
Está chegando a hora de me retirar
Lá do Astral eu trouxe os adereços
Já os tesouros cada um vai procurar

Ao Santo Daime que chegou no meu caminho
E ao meu Padrinho que juntou este rebanho
Vamos no trilho indicado pelo Mestre
Ao Pai, ao Filho, e ao Espírito dos sonhos

Estou acordando na Consciência do Divino
Nesta Ciência que a Floresta preservou
Se as lições são o conjunto destes hinosÉ no irmão que eu realizo o Amor

Meu Mestre Império,
Eu agradeço, eu agradeço
A Santa Luz que vem na forma de canção
Meu São João a Vossa guarda não tem preço
Que primozia a Senhora da Conceição.

Decreto

Eu tenho amor, eu tenho amor
Por todas as criaturas
Se eu tenho amor, se eu tenho amor
Não há mal que me segura

Eu venho de longe, eu venho de longe
Venho dos Campos Sagrados
Se eu tenho amor, se eu tenho amor
Tudo em mim é sustentado

Hey, hey, hey, hey. Hey, hey, hey, hey
Vou trabalhar os elementos
Na terra a base, os fundamentos.
Na água o amor, os sentimentos.

Eu sou do fogo, eu sou do ar
Transmuto ao me comunicar
Quem está comigo não se cansa
Se engata o enigma desta dança

Hey, hey, hey, hey. Hey, hey, hey, hey
Adentro a Roda Sagrada
Eu canto e danço na comunhão
Das luzes de Águia Dourada

Chamei todos os santos do panteão
Abri todas as portas do coração
A Rainha da Floresta
Pedi todas as luzes
Pra vir iluminar a nossa festa

Chamei todos irmãos para se apresentar
Sofredor ou de luz que queiram aqui estar
Esta Presença Trina
Que a todos conceda
Os ensinamentos da Doutrina

O perdão está comigo
Para quem está trancado
Os que recebem graças
Já foram perdoados
Mas se a luz os redime
Procurem se lembrar
De todos seus antigos crimes

Lembrando de onde veio
Pode ter um alento
Pra quem se acha grande
Ainda tem sofrimento
Quem julga seu irmão
Dentro desta corrente
Vai voltar pro caldeirão

Hare, Hare Gandharvas
Hare, Hare, Hare On

O som vem das esferas
Do alto vem a canção

Dos anjos que nos guardam
Das esferas vem o som

Hare, Hare Gandharvas
Hare, Hare, Hare On

Os acordes do divino
Vem do alto, vem do som.

Centrados nestes hinos
Me ordenaram a louvação

Hare, Hare Gandharvas
Hare, Hare, Hare On

Eu sou o Rei do Mundo
Do Reinado das Flores
Que quiser que duvide
Prossiga em suas dores
Quando chegar a hora
De todos conversamos
Serão lembrados os erros
Os que não evitamos

Os erros fazem parte
Do Caminho que concedo
Quem faz dele uma escola
Chegará mais cedo
Conquanto se arrependa
E busque o entendimento
Errando é que se aprende
Com o meu consentimento

Eu sou o Rei do Mundo
E isto atrapalha
Aqueles reis menores
Que fogem da batalha
Quem é grande é pequeno
Não entra em meu Reino
Mas quem se entrega à cruz
Ressucitará na luz

Os pobres e as crianças
Acolho em Meu abraço
Da Terra os desvalidos
É que entram em Meu palácio
Para entrar em Meu Reino
É preciso confiar
Que apesar das curvas
O rio se entrega ao mar

Essa força é de Yansã
Ela vem descarregar
Yansã força guerreira
Faz as almas se encaminhar

Eparrey, Eparrey Yansã
Yansã aqui chegou
Yansã força das almas
Que ela vai direcionar

Essa força é de Yansã
Rainha da Tempestade
Cruza as forças e descarrega
Os buscadores da Verdade

Eparrey, Eparrey Yansã
Yansã aqui chegou
Para as almas que vem buscando
A Justiça de Xangô

Pedi para Águia Dourada
Que ilumine esta sessão
Com as luzes de sua linha
Fé, firmeza e compaixão
Também invoquei a Rainha
Senhora da Conceição
Vós me ensines, que sois minha
Guardiã do Coração

Eu preciso de alegria
Pra seguir nesta missão
Sigo sempre a Estrela Guia
Batizada por São João
Veio ao mundo nos mostrando
O grande poder do amor
Inoculando em nossa alma
A luz do Eu Superior

Tenho em mim esta presença
Embaixadora da verdade
Eu nem preciso de crença
Se pratico a eternidade
Mas se Vos deu esta escola
E mandou os professores
Busco ser bem aplicado
E me livrar desses terrores

O Mestre manda-me seguir com alegria
O Mestre manda-me reagir com amor
Harmonizando as relações nesta família
Que cada aresta alimenta a nossa dor.

Ele é tão simples em seu grande ensinamento
Chamar a força Ele permite a qualquer um
Basta ser leve e puro de pensamento
Ir perdoando, viver sem ranço nenhum.

Pois cada mágoa que guardamos cá no peito
É mais um fardo que levamos na bagagem
Quero ser Águia e voar com Deus por perto
Ser muito leve para ir longe na viagem

Ela é a protetora desta casa
Esta casa é de Oração
Ayê eu, Mamãe Oxum
Ouro do Rei Salomão

Ela é a protetora desta casa
É guardiã do coração
Fazei-me agir na sabedoria
Nestes encontros com meus irmãos

Ela é a dona da manjedoura
Aonde abrigo o meu Jesus
O meu amor dedico a ela
Grande é este brilho que me conduz

Protegei-nos destes enganos
Que cometemos dentro da Linha
Ayê eu, Mamãe Oxum
Nos defendei, minha Rainha

Trabalhando nestas linhas
Replantadas pelo Mestre
Na Luz da Santas Doutrinas
Que o Mestre semeou
Quem falar mal de uma Linha
Está contra os Seus ensinos
Manifestos nestes hinos
Da Doutrina do Amor

Para cada filho Seu
Ele envia o seu sustento
A cada um o alimento de
Sua necessidade
A luz faz diversas cores,
E são diferentes flores
Que compõem o jardim
De nossa Mãe da Caridade

A cada povo de Deus
Em um momento de sua História
As emanações do alto
Enviam seus Guardiões
Às crianças historinhas
Para guardar na memória
Aos iniciados chaves
Transformando os corações

Atenção nestas palavras:
Eu exijo tolerância
Foi em nome do amor
Que travaram tantas guerras
Aquele que fala mal
Ainda está na ignorância
É a união das Linhas
Que pode salvar a Terra.

Eu acordei com o Beija Flor
O Beija Flor que me ensinou
O Beija Flor fez o seu ninho
Neste caminho superior

O Beija Flor, o Beija Flor
Junto comigo caminha
Me entregando nesta Linha
Todos os tesouros da Rainha

O Santo Daime é o caminho
E o tesouro é meu Jesus
Milhões de seres estão chegando
Para beber da Santa Luz

A Luz que traz sabedoria
Para aceitar o professor
Mestres da Luz se apresentando
Na Linha do Beija Flor

Pedi para meu anjo Guardião
Clareza prá seguir nesta missão
Consciência para ser um curador
Uma chama neste mundo sofredor

Deixando sempre quem quiser falar
Mas não dando motivo prá ninguém
O que cala o inimigo é a virtude
E a humildade quando for fazer o bem

Meus caboclos eu quero poder chamar
Bem limpo para a Luz vir trabalhar
Agindo para ser um bom exemplo
Provando merecer ser Vosso Templo

Neste dia de Yemanjá
Vejo as forças balançar
Vejo as ondas balançar
Neste dia de Mamãe
Oh minha Senhora Mãe
Santa Estrela a brilhar
Reluzindo as sete pontas
Nos Mistérios de seu mar
Oh Rainha Odo Yá
Oh Yo-do-ce, yabá

Zeladora Mãe da Vida
Acalmai meu coração
Com a vossa ondulação
Defendendo com Omolu
O Trono da Criação
Renovando nossa fé
Prá poder recomeçar
Nos balanços de seu mar
Oh Rainha Odo Yá
Oh Yo-do-ce, yabá

Ouvi na mata, ouvi na mata
O ronco surdo do tambor
Era meu povo relembrando
Tudo que já se passou

Ouvi na mata, ouvi na mata
O canto rouco dos guerreiros
Está chamando os caboclos
Para atuar neste terreiro

Quem são os índios destas matas
Que aqui vem trabalhar
Eles tem pena estes caboclos
E agora vão chacoalhar

Não é tupi, não é guarani
Esta tribo é do astral
O seu cacique é Oxóssi
O Rei deste Jagubal

Entre nascendo e renascendo
Aqui e em outros planos
Em uma vida foi sacerdote
Em outra, índio americano.

Okê arô, okê arô
Oxóssi é rei e meu senhor
Me submeto às suas ordens
Para ser conhecedor

A Rainha da Floresta
Foi quem me mandou falar
Quem estiver dormindo acorde
Para vir me escutar
Que o assunto é muito sério
Não pode deixar passar

Os recados que Ela envia
A cada dia de sessão
É para dar acolhida
Dentro de seu coração
Que eles não são enfeite
Prá adornar a miração

Todo dia de trabalho
Cada um tem sua mensagem
Mas para se tranformar
Exijo um tanto de coragem
Ou vai adiando a vida
Distraído com bobagem
O acerto que é pedido
Tu não deixes para amanhã
Que o Tempo quando chega
Enviado por Nanã
Pode te achar em má hora
Prá encontrar Juramidan

Em outros tempos Ele disse:
Quando ouvir o meu chamado
Largue tudo, me acompanhe
Quero te ver ao meu lado
E não olhe para trás
Se quiser ver o meu Reinado

O bom guerreiro sempre age
Prá sua flecha ser certeira
Tem a força da certeza
Para não fazer besteira
Ao seu lado tem a morte
Como boa companheira.

Oh, Luz do Sol Dourado
Enviai a este salão
A vossa Divina cura
Disciplina e União

Oh, Luz do Sol Dourado
Acalmai os faladores
Que se intrigam nesta casa
Apesar de seus primores

Oh, Luz do Sol Dourado
Clareai todo este povo
Sempre que for necessário
Ensinai eles de novo

Oh, Luz do Sol Dourado
Educai os zombeteiros
Lhes mostrando esses vícios
Que maculam este terreiro

Oh, Luz do Sol Dourado
Esconjure da corrente
A força de Lúcifer
Que está na lingua desta gente

Se tu pensas que este alerta
Serve para o irmão do lado
Examine a consciência
Sob a Luz do Sol Dourado

Tantas prendas da Rainha
Me permitiram eu alcançar
Alçar vôo no bailado
E ir aprendendo a amar
Fui errando pelo orgulho
Me enleiando em vaidade
Para o Daime em seu espelho
Ir me mostrando a verdade

Meus enganos, agora eu sei
São partes da caminhada
Hoje eu me perdoei
Minhas mãos estão desatadas
Vou seguindo bem pequeno
Procurando bem servir
Ao Mestre e ao irmão do lado
Que deseje prosseguir

Um colar de belos cantos
A Rainha me colocou
Em cada ensino um dever
Com que o Daime me coroou
Só o que eu peço agora é força
Pra agüentar a obrigação
Tenho o amor que é luz do Sol
Neste Reinado do Perdão

Oh, oh meu Divino Pai
Meus trabalhos eu entreguei
Nesta casa da Verdade
Onde sois o Maior Rei

Este hinário foi encerrado em São Paulo
em 27 de abril de 2001.

 

Editado em Setembro de 2003.

fotos e videos